Revista "Poesia sempre", para siempre

PDF Imprimir E-mail

A Fundação Biblioteca Nacional, do Rio de Janeiro, lançou em janeiro  de 1993 o primeiro número da revista “Poesia Sempre”, como nos informa  esse respectivo  verbete  em “Revistas Literárias Brasileiras- Século XX”, de Paulo Cezar Alves Custódio  [Brasília: Edição do Autor, 2012, p. 110].

Poesia sempre

 

Como matéria principal trouxe poetas da América Latina, alguns deles pela primeira   vez  publicados em nosso país. Essa feição internacional caracterizou sucessivas edições, voltadas para a poesia de algum país estrangeiro. Seu nº 2, para a de Portugal. Seu nº 3, para a dos Estados Unidos. E assim por diante. Raras vezes “Poesia Sempre” dedicou-se a um tema ou um autor brasileiro. O que é de se lamentar, pois circula internacionalmente, em todo o mundo culto.

Assumindo em 2012 a tarefa de editar a revista, o professor/poeta/crítico Afonso Henriques Neto decidiu construí-la com o olhar voltado para a poesia do Brasil. E pensou de imediato em dar ênfase aos estados brasileiros, com o propósito de realizar um retrato o mais abrangente possível da história da poesia desses lugares. E  resolveu principiar pelo rico manancial de Minas Gerais, logo no primeiro número sob sua direção,o de nº 36 ( Ano 18, referente a 2012).

É uma bela edição, sob a coordenação editorial de Raquel Fabio, com uma iconografia mineira muito bem selecionada.

Abrindo o volume, o ensaio “Minas Gerais e sua poesia”, da professora (UFMG) e escritora Letícia Malard.

Traz o cânone da maior parte da poesia mineira, sistematicamente ordenado em três seções, incorporando os contemporâneos :

- Poetas Clássicos : desde o início e o Arcadismo do século 18 até o Parnasianismo [Santa Rita Durão, Basílio da Gama, Cláudio Manuel da Costa, Tomás Antônio Gonzaga, Silva Alvarenga, Bernardo Guimarães, Augusto de Lima, Alphonsus de Guimaraens, Severiano de Resende, Archangelus de Guimaraens];

- Modernismo : século 20, destacando Drummond, Emílio Moura, Pedro Nava,  João Alphonsus, Ascânio Lopes; Rosário Fusco ;

- Após-Modernismo : séculos 20 e 21, com 35 poetas, dez dos quais já falecidos [Henriqueta Lisboa, Abgar Renault, Bueno de Rivera, Alphonsus de Guimaraens Filho, etc.] e 25 contemporâneos,  entre os quais Adélia Prado, Affonso Rommanno de Sant’ Anna, Carlos Ávila, Ricardo  Aleixo, Ronaldo Werneck, Sebastião Nunes, Yeda Prates Bernis, Wilmar Silva e o autor destas mal traçadas.

A revista “Poesia Sempre”, em sua edição nº 36, dedicada inteiramente à poesia de Minas Gerais, pode ser adquirida à Loja do Livro da Biblioteca Nacional do Brasil,
no Rio de Janeiro: www.bn.br/lojadolivro

telefone  (21) 2220-  1309
e-mail :    Esta dirección electrónica esta protegida contra spam bots. Necesita activar JavaScript para visualizarla